Agende sua consulta

Olá Cliente Nome!

Obrigado por entrar em contato com a Clínica Henrique Elkis, sua solicitação de agendamento de consulta foi recebida com sucesso.

Sua consulta ainda não foi confirmada, por favor aguarde que retornaremos o contato para confirmar os seus dados e a data da consulta.

Em caso de dúvidas ligue para:
11. 2165-2480

Atenciosamente,

Clínica Henrique Elkis



Mioma
na Gravidez

A associação entre mioma e infertilidade
preocupa muitas mulheres, que
não conhecem o problema e
quais os tratamentos para a doença.

Envie suas dúvudas


O problema atinge aproximadamente 0,13% a 7% das mulheres. Nessa situação, o mioma pode determinar gravidez ectópica (quando o óvulo implanta em outro local que não a cavidade uterina), sangramento, parto prematuro, aborto e dificuldades durante o parto.

Cada caso deve ser analisado individualmente pelo profissional, que irá determinar a necessidade de tratamento e, diante do resultado, decidir junto com a paciente qual a melhor forma de tratar o mioma.

Dr. Henrique Elkis lamenta que no Brasil a retirada do útero ainda é a forma mais convencional de livrar as pacientes da miomatose, principalmente na rede pública. “O útero tem funções que vão muito além da gestação. É um dos responsáveis pelo orgasmo feminino, além de ter um papel fundamental na feminilidade da mulher e influência nos aspectos psicológicos”, enfatiza.

Para tratar o mioma é preciso retirar o útero?

Não, atualmente com as técnicas existentes, a última opção para o tratamento do mioma é a retirada do útero. Mesmo nos casos em que a paciente possui grande número de miomas, há a possibilidade de conduta conservadora.

Exame de Mioma

Geralmente o mioma é identificado durante uma consulta de rotina com o médico Ginecologista.

Durante o exame físico o médico identifica um volume no útero e solicita um exame para analisar se realmente é um mioma e qual o tipo de mioma.

O exame por imagem geralmente apresenta os resultados com precisão e assim o médico ginecologista poderá encaminhá-la para o médico especialista.

Hoje a Radiologia Intervencionista é uma das especialidades que trata o tumor através da embolização do mioma sem precisar retirar o útero.

Quais os riscos da presença do mioma durante a gravidez?

Durante a gestação o mioma pode aumentar consideravelmente de tamanho, isso ocorre porque durante a gravidez o estrogênio, que é um hormônio feminino, tem seus valores elevados fazendo com que os miomas cresçam. Por isso deve-se ter um acompanhamento médico especializado em miomas na gravidez para evitar o aborto. Vale lembrar que em alguns casos, as mulheres que têm mioma na gravidez contemplam uma gestação saudável e o tratamento de embolização do mioma é iniciado após esse período.

O mioma na gravidez afeta a saúde do bebê?

Não. Durante a gestação pode ficar despreocupada pois o mioma não afeta em nada a saúde do bebê. Converse com seu Ginecologista e ele irá explicar em detalhes.

É possível tratar o mioma na gravidez?

Não. Durante a gravidez o médico irá apenas acompanhar a evolução do mioma para evitar problemas de saúde e alguns casos recomenda algum remédio que pode ajudar a aliviar os sintomas, mas o tratamento somente após a gestação.

Quais são os tratamentos do mioma na gravidez?

Os tratamentos do mioma são: clínico, cirúrgico ou intervencionista.
Conheça um pouco mais sobre cada um:

Tratamento Clínico
(conhecido também como tratamento medicamentoso)
Tratamento Cirúrgico


Tratamento Intervencionista



Qual é a técnica mais avançada no tratamento do mioma?

A mais inovadora técnica para tratar o mioma é a embolização uterina. Descrita pela primeira vez em 1995 por um ginecologista francês, a embolização uterina é realizada por especialistas em Radiologia Intervencionista. Como o mioma é "alimentado" por sangue, o corte desse suprimento leva à morte dos tumores. A técnica da embolização uterina é realizada sob anestesia local através da punção de uma artéria da virilha e, com cateteres muito finos "entope-se" as artérias que irrigam o mioma com pequenas esferas.

Após dois ou três ciclos menstruais, a paciente passa a menstruar normalmente. O período de internação é de 24 horas, não há cortes ou cicatrizes, e a paciente pode voltar rapidamente às suas atividades. Além disso, a função uterina é mantida e a gravidez pós-embolização uterina é hoje uma realidade para muitas mulheres.

Toda mulher com mioma tem dificuldade de engravidar?

Nem todo o mioma dificulta a gravidez, o que ocorre é a dificuldade de o espermatozoide encontrar o óvulo. O mioma submucoso, localizado próximo à cavidade uterina e que distorce essa cavidade, e o mioma intramural, mais comum e localizado na parede do útero que comprime as trompas, são os principais causadores da não gestação.

Mas estudos comprovam que a maioria das mulheres não apresenta problemas durante a gestação e nem dificuldades na hora do parto devido a existência de mioma. Em todo caso, deve-se fazer um acompanhamento com um profissional para minimizar a possibilidade de uma gravidez de risco.

As gestantes com mioma apresentam sintomas?

Algumas gestantes com mioma relatam sentirem mais dor do que as que não têm esse problema, mas não é uma regra. O mioma em grávidas quando não acompanhado por médicos aumentam a incidência de partos prematuros e elevam em até seis vezes a chance de um parto por cesárea.

Como minimizar as dores causadas pelo mioma durante a gravidez?

Visite o seu médico Ginecologista se o mioma estiver causando dor. Ele fará uma verificação pélvica ou um ultrassom para checar se ele não está em uma área que pode complicar a gravidez.

Sintomas que devem enviá-la para o médico são a dor durante a relação sexual, dor nas pernas e nas costas, pressão pélvica e sangramento.

Faça uma pausa. O fato de ficar deitada por um tempo longo pode ajudar a reduzir a pressão fora do mioma. Mudar de posição também ajuda.

Se a dor é insuportável, consulte o seu médico Ginecologista e solicite um medicamento para dor, que não irá afetar a sua gravidez.

Jornal Hoje em dia - 10/05/2011
O mioma surge a partir de uma célula muscular do útero que cresce desproporcionalmente e se apresenta de vários tamanhos diferentes.
Veja na reportagem o que especialistas falam sobre os sintomas, seus perigos e como ele pode ser curado.

Adiar a gravidez contribui para o surgimento do mioma?

Ao adiarem a gravidez para depois dos 35 anos, as mulheres se tornam mais vulneráveis ao surgimento de mioma no útero, que atingem até 80% da população feminina. Esse tipo de tumor, embora benigno, ainda é um dos principais responsáveis pelas cirurgias de retirada do útero (Histerectomia), que já está entre os procedimentos mais comuns da área ginecológica e impossibilita gestações posteriores.

Dr. Henrique Elkis explica que a gravidez acaba protegendo a mulher contra a doença. Isso porque o mioma é "alimentado" pelo hormônio estrógeno e inibido pela progesterona. Durante a gestação, a produção aumentada de progesterona durante 14 meses atua como um tratamento suficiente para acalmar as células que estão na iminência de se multiplicar e se transformar em mioma.


O mioma causa infertilidade?

O mioma pode causar infertilidade por dificultar a fixação do embrião no interior do útero. Isoladamente, o mioma causa infertilidade em apenas 5% dos casos. Mas esse índice pode chegar a 15% quando associado a fatores tubários - como lesões ou obstruções das tubas (trompas de Falópio) - e à endometriose.

Recomendações:

De acordo com Dr. Henrique Elkis, a principal recomendação é que toda mulher consulte um médico que pedirá um histórico clínico completo, fará exame físico e solicitará ou revisará estudos complementares. Ao concluir que os sintomas são decorrentes da miomatose, o próximo passo é apresentar e discutir todas as opções terapêuticas disponíveis. Quando a paciente aceita realizar a embolização uterina, será necessário revisar os estudos laboratoriais e de imagem - que têm uma validade média de 30 dias - e então agendar a embolização.

Fontes Bibliográficas

ENVIE SUA DÚVIDA