Agende sua consulta

Olá Cliente Nome!

Obrigado por entrar em contato com a Clínica Henrique Elkis, sua solicitação de agendamento de consulta foi recebida com sucesso.

Sua consulta ainda não foi confirmada, por favor aguarde que retornaremos o contato para confirmar os seus dados e a data da consulta.

Em caso de dúvidas ligue para:
11. 2165-2480

Atenciosamente,

Clínica Henrique Elkis


Exames para
identificação de Miomas

O diagnóstico do mioma pode ser feito
pelo histórico da paciente e pelo exame físico.

A confirmação do mioma é feita
através dos exames de imagem.

Envie suas dúvudas

Mioma é um tumor benigno, formado por tecido muscular. Ainda não foram descobertas as causas que levam à formação do mioma, mas as estatísticas mostram que 50% das mulheres entre 30 e 50 anos, desenvolvem a doença.

No caso do mioma, o problema acontece no tecido do útero e pode se formar na parte de dentro ou de fora, ou entre as paredes do útero.

A menstruação é o maior termômetro da saúde feminina e deve ser observada. Por exemplo, se o fluxo diminuiu, aumentou e/ou mudou de frequência há alguns meses, são sinais de que algo está errado.

Algumas mulheres descobrem o mioma porque têm cólicas fortes durante a menstruação, outras começam a ter sangramentos fora do período menstrual, o espaço de tempo entre as menstruações diminui ou têm fluxo mais abundante, e, além disso, algumas chegam a sentir dor durante a relação sexual.



Exame de Mioma

Geralmente o mioma é identificado durante uma consulta de rotina com o médico.

Durante o exame físico o médico identifica um volume no útero e solicita um exame para analisar se realmente é um mioma e qual o tipo de mioma.

O exame por imagem geralmente apresenta os resultados com precisão e assim o médico ginecologista poderá encaminhá-la para o médico especialista.

Hoje a Radiologia intervencionista é uma das especialidades que trata o tumor através da embolização de mioma sem precisar retirar o útero.


Como o mioma pode ser identificado?

O diagnóstico do mioma pode ser feito pelo histórico da paciente e pelo exame físico realizado pelo ginecologista (toque vaginal) durante uma consulta de rotina. Mesmo que o ginecologista tenha percebido o aumento do útero da mulher - sintoma que indica a presença de mioma - o diagnóstico só poderá ser confirmado pelos exames de imagem, como:



Para tratar o mioma é preciso retirar o útero?

Não,
Atualmente, com todas as técnicas existentes, a Miomectomia é um procedimento muito discutível, pela importância do útero no organismo feminino. Além da gestação, ele é fundamental para a manutenção do orgasmo e tem funções hormonais. Assim sua retirada pode levar a mulher a ser anorgásmica, resultando em estado depressivo ou em problemas psicológicos.

Veja as formas de tratamento do Mioma


Quando deve-se tratar o mioma?

A necessidade de tratamento do mioma está relacionada com a presença de sintomas e a escolha da melhor opção deve ser feita sempre junto com o médico. Mas é preciso atenção, pois quanto mais tempo se leva para diagnosticá-lo e tratá-lo, há mais chance de o caso se complicar.


Após o diagnostico, como escolher o tipo de tratamento?

Existem 3 tipos de tratamentos: miomectomia, histerectomia e embolização de mioma.
Saiba mais sobre os tipos e médotos de tratamento.


Em que idade o mioma aparece?

O mioma costuma aparecer a partir dos 30 a 35 anos, são mais comuns em mulheres com mais de 40 anos. Isto porque, nessa fase, costuma diminuir a quantidade do hormônio progesterona. Sem o progesterona, a ação do estrógeno aumenta, acelerando a produção das células que podem formar o mioma. Isto também explica por que a reposição hormonal deve ser cuidadosamente acompanhada pelo médico.
Recomendações:

De acordo com Dr. Henrique Elkis, a principal recomendação é que toda mulher consulte um médico que pedirá um histórico clínico completo, fará exame físico e solicitará ou revisará estudos complementares. Ao concluir que os sintomas são decorrentes da miomatose, o próximo passo é apresentar e discutir todas as opções terapêuticas disponíveis. Quando a paciente aceita realizar a embolização uterina, será necessário revisar os estudos laboratoriais e de imagem - que têm uma validade média de 30 dias - e então agendar a embolização.

Fontes Bibliográficas

ENVIE SUA DÚVIDA